Em relação ao ano de 2018, os casos de dengue no Brasil ano passado tiveram um aumento de 488%, foram registrado no país 1.544.987 casos da doença, com 782 mortes.

2017 e 2018 comparados a 2015 e 2016, foram anos com poucos casos de dengue. Isso aconteceu devido à circulação do mesmo sorotipo do vírus da dengue durante todos esses anos, ou seja, quando uma pessoa é infectada pela dengue, ela ficara imune aquele determinado sorotipo, porem ainda sujeita a ser infectada por outros sorotipos da doença.

A circulação de sorotipos são maiores de tempos em tempos, e ocorre quando há mudança na circulação do tipo de vírus. No total são quatro o numero de sorotipos do vírus na qual a dengue é transmitida, sorotipo 1, 2, 3, 4, estando todos esses em circulação no Brasil.

Em 2019 a circulação do sorotipo 2 aconteceu somente em algumas partes do Sudeste e Centro-Oeste, sendo 77% de todos os registros de dengue no país, assim como 67% das mortes, que ocorreram em apenas três estados, São Paulo, Minas Gerais e Goiás.

Conforme o sorotipo 2, foi infectando novos paciente nesses estados, ele foi ganhando força e com isso agora está circulando por mais áreas. 

É esperado aumento dos casos de dengue em 2020 justamente nos estados que não foram tão afetados pelo sorotipo em 2019.

O surto da doença também se relaciona a fatores ambientais, pois o período de altas temperaturas e chuvas intensas é um momento propício para o aumento do mosquito transmissor da dengue, Aedes Aegypti.